quarta-feira, setembro 24

Quáse-post

Quáse sobre o festival de cinema


Não sei se foram as gargalhadas no chuecatown (que bom começar com uma história em que o centro não é a miserável vida dos gays que, coitadinhos, só sofrem!), a conversa e a música num pouco agit-ad-o bar do bairro alto, o inusitado de uma bola de berlim regada por cerveja, os pequenos almoços a inaugurar fartamente os dias ou a surpresa do obsceno (sexo explícito com humor, originalidade e - estou capaz de jurar - com a Preciado a espreitar) e a conversa que se seguiu. Não sei se foi o genuíno e caloroso acolhimento de uma casa que não me conhecia ou os cigarros no jardim de inverno. Sei, apenas, que repetiria a overdose (como alguém lhe chamou) de cinema e que quero, com lisboa, cada vez mais queerizar.


ps - com tempo, a ver se cá volto para escrever sobre o obsceno, a pornografia, Preciado e afins. Não vai ser fácil. Há quem diga que dava uma tese ;)

6 comentários:

Alexandre Frota disse...

Obrigado por apreciarem o meu trabalho; fico grato e comovido. Teve uma vez um cara aí que me disse que era muito engraçado o modo como se celebrava a decadência do chamado “amor romântico” (“como se houvesse só um”, dizia o cara), em nome da exaltação de modelos de relação alternativos face ao que vingou no paradigma dominante, para no momento seguinte se redescobrir um dos maiores lixos que as sociedades de lucro souberam produzir: a pornografia. Dizia ele que a pornografia apenas subsistia numa sociedade de castração… Ele há cada um!

Mas obrigado, mesmo, pelo reconhecimento. Show de bola!

cuscavel disse...

Caro Alexandre: vê-se bem que o seu amigo não leu este post e, só por isso, poderia achar que se enquadra nessa apologia da decadência ou, simplesmente, que se trata de um post sobre pornografia (esse está apenas prometido).
Mas o Alexandre leu e percebeu que não é exaltação da pornografia (nem da sua pornografia, note-se), mas um comentário sobre o obsceno (especificamente a série que passou no festival queer) como sinónimo de sexo explícito não normativo, subversivo e que integra o "abjecto" que a norma (hetero)sexual faz questão de cuspir. Valeu, cara?

Anónimo disse...

touchée!
entre os melhores prazeres está a amizade:)
e ainda tem de explicar a Preciado, pode ser? o "antônia" parece que ganhou lá ganhou o festival. bons motivos para volver, até porque Lxx gosta muito de con_frater_nizar.
a lot of kisses

ASS: open mind, open door

cuscavel disse...

Bem disse que o "antônia" não era para perder. Mas se servir como desculpa para repetir a visita, já me dou por satisfeita ;) E Preciado, bem... tem a certeza que quer repetir a dose do pós-obsceno? hum... ;)

Sheena disse...

Só passei para deixar uma al-beijoca :) Até à próxima *

cuscavel disse...

Móss! al-beijoca recebida e retribuída :)