segunda-feira, setembro 8

Assexualidade na primeira pessoa

Para ler no Guardian.co.uk

'We're married, we just don't have sex'
Despite not being physically attracted to other people, Paul Cox, 24, explains how he and his wife found love and happiness as an asexual couple

14 comentários:

Chavascal disse...

Só tem a pior parte, portanto. É a mesma coisa que tirar um fino e beber só a espuma!

kris disse...

que coisa estranha..

kris disse...

mas que raio...ainda tou a pensar nisso..sem sexo?

cuscavel disse...

É isso mesmo, Kris: sem sexo e sem vontade de ter sexo. Podes ver mais informações em asexuality.org

Chavascal, a não ser que seja(s) católico praticante (apenas da religião, pois), não me parece que alguém compre um bar para poder beber uma cerveja. Não compensa por aí além. ;)

cris disse...

Acho fantastica toda esta diversidade, a ilustrar que existem muitas formas de se 'fazer' familia. De resto, a assexualidade brinca com uma data dos nossos mitos juridicos, como a consumacao do casamento, partilha de cama e mesa, etc. Interessantissimo, de facto.

Fabiana Coelho disse...

Saiu uma reportagem sobre o tema, na Pública, há já alguns anos. Tenho-a em casa, se quiseres ler e ver o que mudou, por exemplo. A mim, parece-me muito bem, mesmo.

cris disse...

Olha, acabo de ver que o Ponto Bi tem anunciado um debate para 5 de Novembro, a partir das 20h30, dedicado ao tema da assexualidade. Mais info aqui: http://www.pontobi.org/

Fabiana, gostava de ler essa reportagem. Caso nao a tenhas digitalizada, podes partilhar a data em que essa reportagem saiu? Obrigada!

Fabiana Coelho disse...

Olá Cris. A Pública a que me refiro é a nº470 de 29 de Maio de 2005. Se quiseres, envia a tua morada para meu e-mail (fabiana_coelho@portugalmail.pt) que eu envio-ta pelo correio :)

Condessa X disse...

deus me livre de encontrar uma pessoa assim. É nestas alturas que juntando as mãozinhas olho para o céu e apetece-me murmurar: obrigada, senhor!

cuscavel disse...

Condessa, a encontrares não será onde mais as temes: na cama. Por isso... ;)
De resto, liberdade sexual não implica, igualmente, liberdade assexual? Não será, certamente, o que queres dizer, mas o "deus me livre de encontrar uma pessoa assim" vem na mesma linha do que é muitas vezes dito para se referirem a pessoas não-heterossexuais.

Maria Velho disse...

Fantástico...porque há gente a cursar Psicologia, já no mestrado agora chamado integrado, que só considera que um homossexual é um homem que faz sexo com outro homem !! se não houver sexo são "amigos", camaradas de quarto, de copos, tás a ver?
A assexualidade, bem como o chamado voto de castidade e a abstinência é uma liberdade, e como tal deve ser aceite e respeitada a par com toda a diversidade de vidas(a)sexuais. A diversidade é a beleza da natureza da vida humana, não pensa assim?
Quanta gente eu conheço que se amam de verdade( se é que há verdade!?) e nunca se deram sexualmente um/a com o/a outro/a...

LR disse...

pois,... não sei,... já sabia que existiam (da tal reportagem na Pública, algo inconclusiva, pareceu-me)
fica-nos bem respeitar a escolha, como todas as escolhas e condições...
por outro lado, uma pessoa assim apetece pôr à prova, não é?
;-)

cuscavel disse...

(2 em 1)

Maria e lr, sua tentadora ;), não me parece que a assexualidade seja uma escolha, nem exactamente comparável ao voto de castidade ou à abstinência. De resto, substancialmente de acordo ;)

Ramiro Osório disse...

Envio o meu mail para que assexuais possam contactar-me:
rami.osorio@gmail.com
Seria interessante estabelecer-se uma rede