quarta-feira, julho 2

Aquela é que bem podia ser uma "notícia" do inimigo público

Uma prova que não basta ser mulher para se fazer uma outra política.
Não basta ter poder, há que exercer esse poder de uma forma diferente dos macho-homo-trans-bi-fóbicos.

E parece que tem desculpa só porque admite que está a discriminar...

Pelo fim desta (e muitas outras) palhaçada(s), orgulhosamente marchar: porto, 12 de Julho, 15h


************ É favor ir a correr ver o genial post de reacção às declarações da MFL, no Gengibre Lilás (vénia, vénia, vénia)

3 comentários:

x-pressiongirl disse...

Tão saloia esta senhora. O que vale é que no que toca a discriminações estamos quites. Eu farto-me de discriminar os maus políticos, não lhes chamo políticos. Doravante apelidá-la-ei, tão simplesmente, de "a saloia".

LR disse...

fui ler, porque me passou ao lado. como cidadã diria: "que tristeza, que pobreza!" como feminista, diria: "anda a gente a pregar, e levamos com estas!" como eleitora diria que aqui está uma boa deixa para a esquerda se demarcar deste primarismo. mas como portuguesa, só me apetece emigrar...
(e pensar que ela pode ser PM, chiça!!!)

Grace disse...

Olá senhoras. Já há imagens da marcha do Orgulho do Porto 2008 ali no Eyes On... Cumprimentos lésbicos!