terça-feira, setembro 11

Carta aberta a suposições

Queridas cuscas,

Suponham que começam um novo trabalho e que ele implica partilhar tarefas com outra pessoa. Suponham, então, que começam um novo trabalho e que ele implica partilhar tarefas com um homem. Suponham, mais uma vez, que esse homem, está convosco quase tanto tempo quanto o que passam convosco próprias.

Suponham que o homem com quem trabalham horas a fio é daqueles por quem se sente uma empatia imediata. Suponham que a empatia é rirem-se a bandeiras despregadas. Suponham que essa empatia é ressalvar o que cada um tem de melhor. Suponham que, às tantas, passam ainda mais tempo com esse homem e que no dia em que não estão juntos ele vos liga a perguntar como foi o trabalho. Suponham que vocês acham atencioso tal gesto. Suponham que retribuem. Suponham que a atracção é tudo menos física, mas não é bem intelectual. Suponham, então, que simplesmente gostam da companhia. Suponham que acham que, da outra parte, o mesmo – e só o mesmo – acontece.

Agora deixem de supor. Ele convida-vos para irem ao cinema. Vocês, supõem, que não há nada de estranho no convite. Afinal, o trabalho é ao lado do cinema. Continuem sem supor, vocês declinam o convite. E ficam a supor que a suposição de que nada haveria para supor, não deve ser assim tão linear. E começam a supor que há algo a mais do que vontade de ver um filme.

Suponham que esse homem – aquele que trabalha convosco, com quem têm empatia, com quem gostam de estar, por quem não sentem atracção e que vos convida para ir ao cinema, usa uma aliança na mão direita. Suponham que vos pergunta, de aliança na mão, se têm namorado. Suponham que vos diz que, assim sendo, já não vos convida mais para ir ao cinema porque não suporta rejeição. Suponham que esse homem que não suporta rejeição, pergunta, num almoço com mais dez pessoas, se elas acham que aceitar um não é sinal de esperteza ou de falta de persistência. Suponham que se desmancham a rir por saberem que só vocês e o homem da aliança estão a perceber o que realmente se diz.

Suponham que - persistente e com falta de esperteza - ele insinua que vos paga o café em dívida, depois do jantar. Suponham que o trabalho termina antes do jantar. Vocês riem. E ficam a supor se aquilo que ele supõe é evidência de que ele não percebeu o que vocês supuseram.

Suponham que estão tão confusas como as frases deste texto. Suponham que não sabem se se devem deixar de suposições e dizer: eu não quero mais do que ser tua amiga. Ou se devem continuar a supor que, qualquer dia – e esperam que seja já amanhã – ele se deixe de suposições.

Agora deixem de supor outra vez. O que supõem?

Imagem: Robert& Shana ParkeHarrison

10 comentários:

cuscaróis disse...

Cara Cuscavel,

eu suponho que,
se as tuas suposições se confirmam e se estás certa da não confusão aqui inerente,
deves deixar-te de suposições.
É que suponho que, no caso de correr mal, a suposta boa vontade e empatia possam supostamente findar!

:)

rps disse...

Suponho que estás a complicar.

Woman Once a Bird disse...

Não RPS, pelos vistos o complicadinho é o moço que anda confuso.

jomaolme disse...

Suponho que deviam deixar de supor...tanta suposição atraplha a realidade!!

Beijokas

Zélia disse...

Suponho que devias supor a suposição da tua razão :) Eh eh eh :)

LR disse...

suponho que o melhor é 'pôr tudo' em pratos limpos.com jeitinho :-)

Alien David Sousa disse...

LOL Desculpa estar a rir mas ...
Cuscavel eu suponho que não há nada para supor. É tudo tão claro, que só me dá cocegas no cérebro. ;)

Toca mas é a dizer ao menino ( sim porque eu não lhe chamo HOMEM, por enquanto) para olhar para aliança e tentar agir como um homemzinho.

É só dizer ao menino que ele tem duas opções:
A) Manter a aliança e ser um homenzinho.
B) Retirar a aliança e ser um homenzinho.

Agora agindo assim com a aliança no dedo, não consegue ser um.

Beijinhos

cuscavel disse...

Caras Cuscas,

Suponham lá como reagiu o homenzinho (ou alienzinho? já sem aliança) quando, para não mais atrapalhar a realidade, me deixei de suposições e pus tudo em pratos limpos(mas sem jeitinho, que isso é coisa em débito, por aqui).

Não será complicado (como o moço) supor… basta pensar como age o macho com o orgulho ferido pela rejeição e voilà! Típico!

Ps: cuscaróis, quer-me parecer que a tua certeira suposição inicial (ou final) te iliba de outras suposições. ;)

nImpossiblePrince disse...

Tantos "se's" e "suposições", só complica..Toca a "des'complicar" lol
;)

cuscaróis disse...

Hihi!

Pressupus isso!

;)