quinta-feira, maio 24

Boum, boum!

Este assunto já cheira a mofo – para não nomear outros odores bem piores – mas o cusquices não pode deixar de o comentar. Fala-se do anúncio (seja na TV, seja nos outdoors) da TvCabo. O famoso trim, trim.

Há seres que não compreendem porque nos sentimos tão irritadas com as meninas (que até são sossegadinhas e com poucas carnes à mostra) do tal anúncio. Mais, ainda querem comparar com o facto de não nos incomodarmos de ver a Vanessa Fernandes “entrar-nos pela casa adentro” quase nua.

A estupidez da pergunta e da comparação são bem visíveis. Tão gritantes que não mereceriam uma resposta. Mas o meu lado pedagógico (isto soou pedante?) diz-me para lhes dar uma chance. Ei-la, portanto.


Não é o facto de as raparigas serem bonitas e a Vanessa Fernandes ficar a dever um bocadinho nesse campo que nos irrita. Lamento desiludir, mas não é ciúme (daquele barrigudo de meia idade) nem inveja (da beleza ou juventude das meninas – até é um bocado pedófilo, o anúncio). Simplesmente, as raparigas aparecem submissas; submetidas aos encantos de um “parolo” qualquer. Aparecem como enfeite do anúncio. Estão lá para “embelezar” o dito. E nós não gostamos que as mulheres sejam representadas dessa forma. Estamos fartas de ser o “belo sexo”. O artigo decorativo. A serva das vontades e desejos masculinos.


Para além disso, a escolha de uma publicidade desse tipo (a apelar à libido masculina) deixa de fora, mais uma vez, as mulheres (hetero?) como consumidoras. Acham mesmo que o anúncio se destina a mulheres?


Quanto à Vanessa Fernandes, há motivos de orgulho. Há todo um trabalho meritório à volta do seu fato minimalista (já imaginaram o que seria ter de correr, pedalar com um fato de treino normal? – nem acredito que tenho mesmo de dizer isto).

Mas pior que o trim, trim da TV, é o mesmo anúncio em cartazes espalhados pelas cidades. Estão as três deitadinhas, com olhar lascivo e cobertas por um lençol vermelho, onde se pode ler “Chamadas Ilimitadas”. Quer-me parecer que o que as três belezas (contra quem nada tenho, a não ser como “anunciantes”, até porque não conheço) estão a oferecer são outros serviços ilimitados… E lá estamos nós outra vez com a “mulher-objecto”, “mulher-mostruário”, “mulher-disponível-para-as-vontades-do-seu-amo”. Haja paciência!

Tenho pena que o sexo continue a ser a estratégia que grande parte dos/das publicitários/as use. Estratégia primitiva. Mas parece que parte do público-alvo também o é. Por isso, e se porque há estupidez suficiente para se colocar uma pergunta deste tipo, não é de estranhar que esse tenha de ser o recurso.

E por favor, pior de que ouvir um homem a perguntar “porquê a irritação?” é ouvir mulheres responderem que é ciúme. Se assim o é, que falem por si. Outro estereótipo que não me faz falta nenhuma é o da mulher-contra-mulher e da tonta insegura que daria tudo por um corpo que não fosse o seu.

E agora desculpem lá, mas o telefone está a tocar e tenho três bonzões à minha disposição!

7 comentários:

Safo disse...

Considerando que o reclame é da TV Cabo, penso tratar-se da reprodução das tendências de uma certa sociedade patriarcal: em frente à TV e demasiado concentrada no tamanho do seu cabo. Ou seja, a expressão “TV Cabo” podia desde logo ser a epígrafe simplificada da dominação masculina. Passe a brincadeira, já que partilho a revolta!

rps disse...

Este blogue não larga a temática feminista.

Woman Once a Bird disse...

E porque havia de largar, RPS?

INF disse...

De facto, não têm nada porque largar a "temática" feminista.
Keep up!
Concordo com o teu post.
As reacções pavlovianas ao estilo "lá vêm as feias invejosas das feministas" pecam por excessiva superficialidade e algum preconceito.
Faz-me lembrar uma história: o Norman Mailer disse à Germaine Greer, durante um debate, "you are more beautiful than I thought". Para ele, ser feminista era provavelmente consequência de uma certa fealdade e de mal disfarçada inveja.
O que incomoda, e uso o verbo sem pudores de espécie alguma, é que a publicidade continua a veicular a ideia de que os homens desejam e as mulheres são os objectos de desejo. Sem possibilidade de a inversa ser também verdadeira. A beleza, tal como em tempos o foi a virgindade, determina o valor das mulheres de uma forma que não têm aplicação nos homens. Como escreve a Naomi Wolf no The beauty mith:
"A man is unlikely to be brought within earshot of women as they judge men's appeareance, height, muscle tone, sexual technique, penis size, personal grooming,all of which we do."

Fabiana disse...

Já sabes que estou completamente de acordo. Mete nojo!

jg disse...

Querida cuscadora,
A crítica cerrada que me dirigiu teve, pelo menos, um ponto positivo. Descobri este blog de que, com sua licença, me tornarei cliente efectivo.
Não acredito que não tenha percebido que a minha postagem sobre o assunto se revestia de ironia pura. Está na cara, caramba!!
É por demais evidente, por todos os motivos e mais algum, que a comparação e a admiração são impensáveis.
Quanto ao âmago da questão em si, exploração e apropriação indevida da imagem feminina para tudo, concordo que seja deplorável. Mas é uma realidade.
Culpados?!! Nós, consumidores. E quem se presta a vender o corpo ou a imagem independentemente da causa ou fim a que se destina.
Irrita-me particularmente que hoje em dia nada se venda sem recorrer de forma quase explícita a sexo. Acho uma javardice. Embora adore sexo, como todo o mundo. Mas não é por gostar de sexo que acho que o dito deva ser promovido ou praticado na praça pública. Perderia a mística e o encanto. Seria banal. Tal como o é na publicidade abusiva e constante que nos entra casa adentro.

Atentamente

cuscavel disse...

Safo, haja alguém que veja piada (e a faça ver) nestas cenas deploráveis.

INF, e pensar que já não há mais posts escritos por ti... valem-nos os comentários! :)

Rps, para não me acusar de violência blogosférica, aproprio-me das palavras da nossa querida woab.

Fabi, "mete nojo" é uma expressão que melhor resume o anúncio! ;)

Jg, "hoje em dia nada se vende sem recorrer de forma quase explícita a sexo". O que dizer da nova publicidade da vitalis elegante?